sexta-feira, 29 de maio de 2009

Estréia do Cine Com-Tour UEL: O Ninho Vazio

O Ninho Vazio é a estréia desta sexta-feira no Cine Com-Tour UEL. O filme do diretor e roteirista argentino Daniel Burman mostra a adaptação de um casal quando seus três filhos já adultos saem de casa para assumir suas proprias vidas. O vazio deixado por eles gera um desequilibrio no casal interpretado por Oscar Martínez e Cecilia Roth, já que cada um assume posturas pessoais diferentes após a saída dos filhos.

As sessões iniciam na sexta-feira, 29 de maio e seguem até o dia 05 de junho, 5a. feira. A entrada custa 8 reais (inteira) e 4 reais (meia), sempre `as 20h30min. Lembramos que a estreia dos filmes ocorre sempre na 6a. feira, valor unico de R$4,00.


Sinopse


Leonardo (Oscar Martínez) e Martha (Cecilia Roth) formam um casal de meia idade que precisa lidar com a saída de casa dos filhos. Para ocupar o tempo ela resolve retornar à faculdade e à vida social intensa, enquanto ele, escritor renomado, decide por ser cada vez mais introspectivo. Este contraste faz com que a crise no casamento deles se acentue ainda mais. Dirigido por Daniel Burman (O Abraço Partido) e com Cecilia Roth e Oscar Martinez no elenco.


Ficha Técnica

Título Original: El Nido Vacío
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 91 minutos
Faixa Etária: a partir de 14 anos
Ano de Lançamento (EUA / Espanha / França / Itália): 2008
Site Oficial: www.elnidovacio.com
Estúdio: BD Cine / Classic Film / Paradis Films / Wanda Visión S.A.
Distribuição: Imovision
Direção: Daniel Burman
Roteiro: Daniel Burman
Produção: Anahí Berneri, Daniel Burman, Diego Dubcovsky e José Maria Morales
Música: Nico Cota e Santiago Rio Hinckelmann
Fotografia: Hugo Colace
Direção de Arte: Aili Chen
Figurino: Roberta Pesci
Edição: Alejandro Brodersohn

Elenco

Oscar Martínez (Leonardo)
Cecilia Roth (Martha)
Carlos Bermejo (Marchetti)
Eugenia Capizzano (Violeta)
Inés Efron (Julia)
Arturo Goetz (Dr. Sprivak)
Jean Pierre Noher (Fernando)
Ron Richter (Ianib)


quarta-feira, 27 de maio de 2009

CASA DE CULTURA DA UEL INAUGURA NOVO ESPAÇO EM GRANDE ESTILO

A inauguração da Casa de Cultura UEL_Artes Plásticas contou com workshop do Rumos Itaú Cultural e programou performances com o Coletivo Manada


A Casa de Cultura da UEL_Artes Plásticas está em nova localidade em Londrina. O local destinado a receber manifestações artísticas relacionadas às artes plásticas situa-se agora na Av. Juscelino Kubitschek, 1973. O espaço inaugurou, no último dia 26, com a realização do Workshop “Entre Percursos e Circuitos – Manobras da Arte”, do Rumos Itaú Cultural e com o evento Debandada, que trará até o fim desta semana apresentações do Coletivo Manada, além de mostras da Kinoarte e do bailarino Anderson Casagrande.

O projeto Rumos Itaú Cultural visitou vários locais do pais e selecionou 18 municípios para sediar o evento que acontece durante este ano. A Casa de Cultura da UEL_Artes Plásticas foi o espaço escolhido para sediar o evento em Londrina. “Para nós é um motivo de orgulho ter sido escolhido e poder contar com a participação do público de Londrina” afirma Fernanda Magalhães, diretora da divisão. O workshop começou na terça, dia 26, e encerra na sexta feira, dia 29. Ao todo, são 25 inscritos, (estudantes, artistas e profissionais que trabalham com arte) que participam da oficina e discutem os ‘rumos’ da arte local e também nacional. O assistente curatorial e artista plástico paraense Armando Queiroz irá ministrar o workshop.

Na terça, a oficina discutiu a importância do curador como a pessoa que assume um papel de avaliar o trabalho do artista, tem experiência sobre a reflexão da arte, além de ser um suporte para auxiliar na construção de projetos artísticos. Armando Queiroz é curador assistente do Rumos Itaú Cultural e foi indicado para vir até

Londrina dar a oficina. “É a primeira vez que venho à Londrina e estou contente com o primeiro contato com o grupo participante. São pessoas jovens, com sede de novas idéias”, aponta o curador. Queiroz acrescenta que está ansioso para trocar informações com os artistas e alunos. “Quero sentir quais são as necessidades dessa região, se são as mesmas do norte do pais, de onde eu venho, e estabelecer uma relação de respeito e troca com cada um deles” finaliza.

Após o workshop do Rumos Itaú Cultural o Coletivo Manada iniciou suas apresentações da semana com a performance “A Bolha”: duas grandes bolhas de plástico que invadiram o salão principal da Casa de Cultura UEL_Artes Plásticas e interagiram com o público presente. O grupo ainda trará os trabalhos “Para Conservar Meus Bens – Presente” e “Experimentações Projeção” nos próximos dias após o workshop do Itaú Cultural.

O Coletivo Manada nasceu em março deste ano quando um grupo de amigos, estudantes da UEL, decidiu concretizar a vontade mútua de realizar manifestações artísticas a partir das obras individuais de seus integrantes. Um dos objetivos do grupo é provocar o público através de experiências sensoriais e objetos interativos. As obras do Coletivo Manada são, sobretudo, dinâmicas e seus significados variam de acordo com cada olhar.

Manada é composto por: Alissar Ayoub, Camila Melara, Cristina Taniyama, Cinthia Santana, Estela Tiemy, Fernanda Magalhães, Hígor Mejïa, Juliana Motta, Julie Guerrini, Leonardo Gutierres, Letícia Albanez, Mavi, Marcio Diegues e Pipoca.



















Um compositor legítimo

Edmundo Villani Côrtes destaca-se por suas composições que revelam a música popular brasileira dentro da perspectiva clássica.


Villani é um autêntico compositor brasileiro que em suas músicas faz um passeio do erudito ao popular. A exaltação do Brasil e sua sinceridade são pontos fortes de suas composições

Esta é a primeira visita do compositor à Londrina. Ele já havia conhecido Cícero Cordão, solista e trompetista da Orquestra da Universidade Estadual de Londrina, Osuel, em Ourinhos no ano 2003. Já Helena Herrera, regente da orquestra, o compositor conheceu em 2004 quando ela estreou uma peça que Villani compôs ainda em 1978.

Edmundo Villani-Côrtes atribui a homenagem da Osuel à presença feminina de Elena Herrera na regência da orquestra. Ele diz que somente com mulheres regendo orquestras é que foram realizadas as primeiras versões sinfônicas de sua obra. Assim como, neste mês de maio a Osuel apresentou sua composição de forma inédita no Cine Teatro Universitário Ouro Verde UEL. “Esta é a primeira audição mundial da versão sinfônica em trompete graças ao Cícero Cordão, Elena Herrera”, ressalta Villani-Côrtes.

Sobre a aceitação do público perante sua música, Villani diz que é espetacular, pois sua musica é sincera e tem caráter legitimo. Ele revela que já sofreu preconceitos de alguns eruditos sobre sua música expressar além do clássico, o popular. O compositor também se sente um pouco incomodado com valorização de composições somente internacionais. Na sua obra ele menciona o Brasil, sempre de um jeito legítimo, com citações da música popular do nordeste até o sul do país. “Procuro exaltar a felicidade que tive de morar no Brasil”, afirma.

Edmundo Villani-Côrtes nasceu em 1930 em Juiz de Fora, Minas Gerais. Segundo o compositor, seu primeiro contato com a música vem desde a infância quando tentava tocar cavaquinho. Sempre tirou peças de ouvido, em função disto seu primeiro professor de piano negou-se a dar continuidade a aula. Villani, persistente, continuou sua aprendizagem sozinho.

Aos 17 anos, Villani foi para o Rio de Janeiro e ingressou no Conservatório Brasileiro de Música. Relembra que foi neste período que teve um dos primeiros contatos com orquestra além de freqüentar casas noturnas para observar a habilidade dos músicos e absorver novos truques de piano. Também se apresentava nestas casas, e diz que foi desta vivência prática que se aperfeiçoou em sua habilidade musical.

Somente em 1995 apareceu o primeiro cd com composições de Villani. Hoje, já possui mais de 50 cds gravados em diversos países. Só no ano de 1998 viu ser gravada sua primeira peça sinfônica. Com quase 80 anos, o compositor revela que não se incomoda da aceitação tardia de sua obra. “Eu nunca fiz a música e nem fui ser músico com o intuito de ser famoso” afirma Villani-Côrtes.

Atualmente, Edmundo Villani Côrtes dá aulas na Universidade Livre de Música (SP) e está desenvolvendo composições para musicais, trilha sonora, e um concerto para orquestra.

Villani Côrtes e Janete El Haouli no Centro de Documentação da Casa de Cultura

Doações

Ao visitar a Casa de Cultura na sexta feira, 22 de maio, Edmundo Villani-Côrtes doou partituras e um cd para a o Centro de Documentação da Casa. Segue as doações do compositor:

1. Música contemporânea brasileira: Edmundo Villa-Côrtes(livro e CD)
2. Música contemporânea brasileira: Edmundo Villa-Côrtes(partituras)
3. Dez prelúdios Cinco Interlúdios para piano: Edmundo Villa-Côrtes (2 exemplares)
4. Prelúdio n.º9
5. Papagaio Azul
6. Cinco miniaturas brasileiras (3 exemplares)
7. Luciana Hamond interpreta Edmundo Villani-Côrtes

Dentre a vasta obra do compositor, Villani contribuiu com o acervo do Centro de Documentação da Casa de Cultura

terça-feira, 26 de maio de 2009

DEBANDADA inaugura o novo espaço da Casa de Cultura UEL - Artes Plásticas


O evento DEBANDADA inaugura o novo espaço da Casa de Cultura UEL_Artes Plásticas, na Av. Juscelino Kubitschek, 1973, de 26 a 29 de maio de 2009, a partir das 18:30h. Serão quatro noites de ações, projeções, instalações e intervenções performáticas interativas com o público. O objetivo é ocupar todo o espaço trazendo a produção dos artistas para este novo endereço das artes em Londrina.

O evento é uma realização da Casa de Cultura UEL_Artes Plásticas com curadoria de Fernanda Magalhães e a organização e produção do 'Coletivo Manada'.

A programação conta com apresentação de trabalhos do Coletivo MANADA que apresentará “A Bolha”, “Para conservar meus bens – presente” e “Experimentações Projeção”. O bailarino londrinense Anderson Casagrande, radicado na Alemanha, apresentará a vídeo-instalação Ofelia, editado pela KINOARTE, material inédito que conta com fragmentos da apresentação realizada por Casagrande no Estúdio Kazuo Ono no Japão. A KINOARTE irá projetar o curta 'SATORI USO' e o documentário 'Paulo Menten', curta inédito sobre o artista.

O Coletivo MANADA desenvolve ações artísticas como performances, instalações, projeções e intervenções interativas. Sua formação é recente, a partir de março de 2009, e as ações em desenvolvimento partiram dos trabalhos individuais dos artistas participantes. As reuniões do Coletivo acontecem na Casa de Cultura UEL_Artes Plásticas, na Av JK 1973. O coletivo é composto por: Alissar Ayoub, Camila Melara, Cristina Taniyama, Cinthia Santana, Estela Tiemy, Fernanda Magalhães, Hígor Mejïa, Juliana Motta, Julie Guerrini, Leonardo Gutierres, Letícia Albanez, Mavi, Marcio Diegues e Pipoca.




WORKSHOP ENTRE CURSOS E CIRCUITOS – MANOBRAS DA ARTE | RUMOS ITAU CULTURAL__ARTES VISUAIS 2008/2009


Dos dias 26 a 29 de maio será realizado em Londrina o workshop Entre Percursos e Circuitos – Manobras da Arte, do Rumos Itaú Cultural Artes Visuais 2008/2009, na Casa de Cultura UEL_ Divisão de Artes Plásticas. Mesmo sem maior divulgação, o workshop já estava com vagas esgotadas desde o segundo dia de inscrições. O evento marca o início das atividades de 2009 na Divisão de Artes Plásticas, que tem como objetivo estimular a produção e a circulação artística desta vertente artística em Londrina e região.

O projeto irá contemplar 18 cidades do interior do Brasil e Londrina foi escolhida após os assistentes curatoriais do Itaú Cultural viajarem por diversos locais e conhecerem a cena cultural de vários municípios. A escolha do Itaú Cultural por Londrina demonstra a importância do serviço que a Casa de Cultura UEL exerce no município. De acordo com a chefe da Divisão de Artes Plásticas da Casa de Cultura UEL, Fernanda Magalhães, “a escolha por Londrina também denota que a expressão artística local é forte e bastante significativa”.

O workshop tem como objetivo contextualizar a arte local e contemporânea e desenvolver debates e bate-papos nos quais os inscritos podem participar e trazer seus próprios materiais. Armando Queiroz é o assistente curatorial que irá ministrar o workshop em Londrina.

1º dia: arte aqui
Conhecer e discutir a produção artística do local, lançando uma discussão acerca de sua conjuntura. A partir de um mapeamento do campo da arte na cidade (identificando artistas, espaços expositivos e de formação, mercado, críticos, curadores, gestores, políticas públicas, dentre outros), buscar compreender suas dinâmicas de desenvolvimento.
2º dia: arte hoje
Apresentar, com base nas discussões prévias acerca da produção artística local, interesses e questões diversas que têm permeado a atual produção em arte contemporânea, buscando paralelos entre esta e o contexto vivenciado pelos participantes do workshop. Este módulo tem caráter eminentemente histórico.

3º dia: arte e pensamento crítico
Localizar a produção artística à luz das reflexões sobre a cultura que são mais amplamente desenvolvidas por campos diversos, como o da arte, da filosofia, comunicação, sociologia, dentre outros.

4º dia: arte e cultura
Debater acerca do lugar e das implicações da arte no contexto da cultura, fazendo ver seus meios de relação com os diversos modelos culturais presentes na atualidade. A partir de tal análise crítica e da apresentação de experiências artísticas ocorridas em outros locais, coletivamente traçar possibilidades de agenciamento da produção local.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Sexta-feira é dia de estréia no Cine Com-Tour/UEL : O Silêncio de Lorna

A Casa de Cultura trás duas opções de lazer nesta sexta-feira à noite. Para quem gosta de assistir um bom filme, o Cine Com Tour apresentará "O Silêncio de Lorna", que conta a história de uma imigrante ilegal albanesa na Bélgica que quer abrir uma lanchonete. O filme será exibido as 20h30min com entrada por 8 reais (inteira) e 4 reais (meia).

Para quem aprecia boa música, a Orquetra Sinfonica da Universidade Estadual de Londrina - OSUEL - vai homenagear o compositr brasileiro Edmundo Villani-Côrtes, que virá à Londrina para receber o prestígio. A apresentação será as 20h30mim com entrada franca.
Cabe agora decidir o que você gosta mais e aproveitar a sexta-feira.


O Silêncio de Lorna



Sinopse
A albanesa Lorna (Arta Dobroshi), imigrante ilegal na Bélgica, deseja se tornar sócia em uma lanchonete, juntamente com seu namorado belga. Para tanto ela aceita se casar com Claudy (Jérémie Renier), um dos capangas do mafioso Fábio (Fabrizio Rongione), apenas para adquirir a nacionalidade belga. Após algum tempo ela é obrigada a mais uma vez se casar, desta vez com um mafioso russo, para obter sua cidadania. Só que, para que este novo casamento seja possível, Lorna precisa antes matar Claudy.




Ficha Técnica
Título Original: Le Silence de Lorna
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 105 minutos
Faixa Etária: 16 anos
Ano de Lançamento (Bélgica / França / Itália / Alemanha): 2008
Estúdio: Archipel 35 / Gemini Film / Mogador Film / Lucky Red / Les Films du Fleuve
Distribuição: Imovision
Direção: Luc Dardenne e Jean-Pierre Dardenne
Roteiro: Luc Dardenne e Jean-Pierre Dardenne
Produção: Dennis Freyd, Luc Dardenne e Jean-Pierre Dardenne
Fotografia: Alain Marcoen
Desenho de Produção: Igor Gabriel
Edição: Marie-Hélène Dozo



Elenco
Arta Dobroshi (Lorna)
Jérémie Renier (Claudy Moreau)
Fabrizio Rongione (Fábio)
Alban Ukaj (Sokol)
Morgan Marinne (Spirou)
Olivier Gourmet (Inspetor)
Anton Yakovlev (Andrei)
Grigori Manukov (Kostia)
Mireille Bailly (Monique Sobel)
Stéphanie Gob (Enfermeira)
Laurent Caron (Comissário)


Premiações
- Ganhou o prêmio de Melhor Roteiro, no Festival de Cannes.



Serviço:

O Silêncio de Lorna

Local: Cine Com-Tour/UEL

Data: 22 à 28 de maio

Horário: 20h30

Entrada: 8 reias (inteira) 4 (meia)

quarta-feira, 20 de maio de 2009

EDMUNDO VILLANI-CÔRTES VEM À LONDRINA PARA RECEBER HOMENAGEM DA OSUEL

O renomado compositor brasileiro Edmundo Villani-Côrtes estará em Londrina nos dias 21 e 22 de maio para receber a homenagem que será realizada pela OSUEL no Cine Teatro Universitário Ouro verde nesta sexta-feira (22). No programa, duas peças do músico serão apresentadas: Djopoi (Oferenda) e Concerto para Trompete e Orquestra - com os três movimentos Allegro (Ponteio para as Altosas), Lento Fluente (Aqüífero Guarany) e Presto (Valsa Rancheira) – com o solista Cícero Pereira Cordão.

Villani-Côrtes, que nasceu em novembro de 193 em Juiz de Fora, Minas Gerais, é mestre em Música pela Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro e doutor em Música pelo Instituto de Artes da Universidade de São Paulo. Laureado em vários concursos de composição em âmbito nacional e internacional, suas obras (cerca de 300 aproximadamente) encontram-se registradas em mais de 40 CDs, gravados em diversos países, tais como: Inglaterra, França, Itália, Alemanha, Suíça, Japão, USA e Brasil. Recebeu os seguintes prêmios da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA):

1988 - Melhor peça erudita vocal - "Ciclo Cecília Meireles"

1995 - Melhor peça coral sinfônica - "Postais Paulistanos"

1997 - Melhor peça experimental - "Concerto para Vibrafone e Orquestra"

2007 - Melhor peça coral sinfônica - "Te Deum", peça comemorativa dos 150 anos da fundação de sua cidade natal, Juiz de Fora.

2009 - Melhor peça coral sinfônica- "Missa em homenagem ao Padre José de Anchieta", comemorativa aos 450 anos da fundação da cidade de São Paulo

OSUEL SE APRESENTA NESTA SEXTA-FEIRA

Os homenageados da noite serão o compositor brasileiro Edmundo Villani-Côrtes e o alemão Johannes Brahms



A Casa de Cultura da UEL apresenta Concerto da 'Temporada 2009' da Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual de Londrina (OSUEL) que será realizado no dia 22 de maio, sexta-feira, no Teatro Ouro Verde, às 20h30, com entrada livre.

A regência é da maestrina Elena Herrera (Cuba/ Brasil) que desenvolve um trabalho de revitalização da orquestra desde setembro de 2008 e assume a Direção Artística e regência titular até dezembro deste ano. Cubana de nascimento, a maestrina Elena Herrera, tem sido reconhecida pela sua trajetória na Pedagogia Musical e na Regência Orquestral. Formou-se em Piano em 1972; estudou com os professores Cecílio Tieles, Silvio Rodríguez Cárdenas e Jose Maria Bidot. Em 1978 iniciou seus estudos de Regência Orquestral. Foi discípula do maestro alemão Olaf Koch e dos maestros cubanos Jorge Lopez Marin e Orestes Urfé.. Em 1982 formou-se como Regente e Licenciada em Música no no Instituto Superior de Artes de Cuba.

No programa, duas peças do renomado compositor Edmundo Villani-Côrtes serão apresentadas: Djopoi (Oferenda) e Concerto para Trompete e Orquestra com os três movimentos Allegro (Ponteio para as Altosas), Lento Fluente (Aqüífero Guarany) e Presto (Valsa Rancheira). O segundo momento da apresentação será uma homenagem a Johannes Brahms e sua Sinfonia nº 2 (Op. 63) em Ré Maior.

Edmundo Villani-Côrtes nasceu em Juiz de Fora, Minas Gerais, em 1930. É mestre em Música pela Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro e doutorado em Música pelo Instituto de Artes da Universidade de São Paulo. Possui mais de 300 obras gravadas em mais de 40 CDs no mundo todo.

Outro destaque é a apresentação do solista e trompetista Cícero Pereira Cordão Neto, nascido em Itaporanga em 1970. Tem experiência de mais de duas décadas com a música clássica. Em 1983 estreou na Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba. Como solista atuou no “Duo Londrina” de trompete e piano com a pianista Luciana Gastaldi. Em 1993 venceu o concurso solista OSUEL. Já participou de turnês pelo Brasil e Argentina.


Visita das crianças do Projeto Latinha na Casa de Cultura



As crianças do Projeto Latinha da Vila Cultural trouxeram a animação da percursão afro-brasileira para a Casa de Cultura nesta manhã de terça-feira. A apresentação do grupo Latinha ficaria restrita no calçadão, mas eles foram convidados a estender o repertório para a Casa.

A apresentação faz parte da programação da Semana da Luta Antimanicomial em Londrina, promovida pela Associação Londrinense de Saúde Mental (ALSM).

Segundo os responsáveis por esta ação, André Herick e Miguel Matoso, o Projeto Latinha é uma oficina de prática de percursão afro-brasileira destinadas a crianças e adolescentes de 8 à 14 anos. O projeto, ministrado pelo grupo L.A.T.A, visa desenvolver a musicalidade da percursão das crianças.

Os ensaios são feitos na Vila Cultural Alma Brasil as terças-feiras, as 9h30min. E nas segundas-feiras as 15h, na Vila Cultural Brasil.

Os interessados podem entrar em contato pelo telefone: 33262672

segunda-feira, 18 de maio de 2009

CONCERTO SINFÔNICA JOVEM UEL

Dando início aos concertos de 2009, a Sinfônica Jovem UEL se apresentou no dia 17 de maio, às 10h30min, no Cine Teatro Universitário Ouro Verde, com entrada livre.

No programa, Abertura para uma comédia de Hanns Eisler (1898-1962), o Concerto para viola e orquestra de Carl Stamitz (1746-1801) e a Sinfonia “Inacabada” de Franz Schubert.

A Sinfônica Jovem UEL é um projeto da Casa de Cultura da Universidade Estadual de Londrina que possibilita a jovens músicos da cidade, da região e até de outros estados a vivência musical dentro de um contexto orquestral.

Através do contato com autores e obras significativas do universo da “musica clássica”, os participantes podem desenvolver suas potencialidades musicais, familiarizando-se com as dinâmicas próprias que uma atividade orquestral demanda. Esse contexto artístico-pedagógico propicia àqueles que desejam abraçar a carreira de músico de orquestra uma rica experiência a caminho da profissionalização.

COMPOSITORES

Hanns Eisler nasceu em Leipizig, Alemanha, em 1898 e foi um compositor que, muito peculiarmente, via a música como um instrumento de conscientização crítica do ouvinte. Atuando como um compositor profundamente engajado politicamente e tendo como pressuposto os princípios da teoria marxista, teve predileção por temas onde a ação popular na condução de seu próprio destino fosse a tematização. Ficou muito conhecido por musicar poemas de Bertold Brecht.

O Concerto para Viola e Orquestra de Carl Stamitz é uma obra obrigatória dentro do repertório violístico. Composto dentro dos ideais estéticos do classicismo, a obra apresenta três movimentos: Allegro, Andante moderato e Rondó. Esse Concerto terá como solista o musico Jhonatan dos Santos, integrante da orquestra sinfônica jovem.

Para finalizar o programa, foi interpretada a Sinfonia Nº. 8 de Franz Schubert, codinominada “inacabada” em virtude de constituir-se apenas de dois movimentos - Allegro moderato e Andante com moto - contrariando a tradição vigente em sua época de apresentar os quatro movimentos costumeiros. Não se sabe ao certo os motivos que levaram o autor a não concluir, haja vista Schubert haver iniciado a composição de um terceiro movimento, bem como ter ainda escrito uma nona Sinfonia. Contudo, a despeito dessa peculiaridade, a obra é freqüentada por grandes orquestras em todo o mundo em virtude de sua beleza e dramaticidade.

O concerto está sob a direção artística do violinista Flávio Collins Costa, músico da OSUEL.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Estréia hoje: Um Conto de Natal


Entre os dias 15 e 21 de maio o filme em cartaz do Cine Com-Tour/UEL será "Um Conto de Natal". Para quem gostou do tema "familia" do filme exibido anteriormente no
Cine Com-Tour/UEL, vale a pena conferir a estréia desta sexta-feira. "Um Conto de Natal" será exibido as 20h30min e para relembrar, o ingresso custa R$8,00 (inteira) e R$4,00 (meia).

Sinopse

Há muitos anos Abel (Jean-Paul Roussillon) e Junon (Catherine Deneuve) perderam o pequeno filho Joseph, o que marcou a vida de seus outros dois filhos, Elizabeth (Anne Consigny) e Henri (Mathieu Amalric). Hoje os irmãos não se falam mais. Quando Junon descobre que precisa de um transplante de medula, toda a família faz testes, sendo que os únicos doadores compatíveis são Henri e o filho de Elizabeth, Paul (Emiel Berling). No dia de Natal todos se reúnem, onde precisam tomar
decisões

Ficha Técnica
Título Original: Un Conte de Noël
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 150 minutos
Ano de Lançamento (França): 2008
Site Oficial: www.bacfilms.com/site/conte
Estúdio:
Why Not Productions

Distribuição: IFC Films / Imovision
Direção:
Arnaud Desplechin
Roteiro: Emmanuel Bourdieu e Arnaud Desplechin
Produção: Pascal Caucheteux
Música: Grégoire Hetzel
Fotografia:
Eric Gautier

Desenho de Produção:
Dan Bevan
Edição: Laurence Briaud
Faixa etária: 14 anos

Elenco
Catherine Deneuve (Junon)
Jean-Paul Roussillon (Abel)
Anne Consigny (Elizabeth)
Mathieu Amalric (Henri)
Melvil Poupaud (Ivan)
Hippolyte Girardot (Claude)
Emmanuelle Devos (Faunia)

Chiara Mastroianni (Sylvia)
Laurent Capelluto (Simon)
Emile Berling (Paul)
Thomas Obled (Basile)
Clément Obled (Baptiste)

Françoise Bertin (Rosaimée)

Samir Guesmi (Spatafora)

Azize Kabouche (Dr. Zraïdi)

Fotos: Divulgação


quinta-feira, 14 de maio de 2009

INSCRIÇÕES PARA A ORQUESTRA PRELÚDIO


Um prelúdio é sempre um início, uma introdução para uma obra maior, mais acabada.

A Casa de Cultura da UEL convida a todos os jovens músicos interessados em integrarem o corpo da Orquestra Prelúdio. Para tanto, é necessário passar por uma avaliação que se dará durante o mês de maio, todos os sábados, das 14h00 às 17h00. O regente Juraci Barbosa vai receber interessados em compor uma orquestra de cordas. Quem está começando seus estudos em violino, viola, violoncelo e contrabaixo acústico pode comparecer às avaliações na Divisão de Música (Rua Tupi, 210). No teste será pedido que o interessado execute uma música de livre escolha e faça uma leitura musical à primeira vista. Por fim os inscritos vão ser divididos em dois grupos de acordo com o nível técnico.

A Orquestra Prelúdio foi criada há 25 anos, paralelamente à Orquestra Sinfônica da UEL. Seu criador foi Othônio Benvenuto. O seu objetivo imediato foi o de preparar os músicos iniciantes para que mais tarde pudessem ingressar na OSUEL. Este objetivo pode ser considerado alcançado, uma vez que muitos músicos que estão atualmente na OSUEL já passaram pela Prelúdio.

Mas ela sempre foi, e continua sendo, muito mais do que isso. Um ambiente propício para estimular a capacidade técnica e emocional dos jovens músicos. Uma oportunidade rara de se aprender música clássica gratuitamente. Como diz Juraci Barbosa, “os benefícios de um aprendizado musical são muito mais amplos do que podemos avaliar”.

Avaliações da Orquestra Prelúdio
Músicos iniciantes em violino, viola, violoncelo e contrabaixo acústico
Durante o mês de maio, todos os sábados
14h00 às 17h00
Casa de Cultura – Divisão de Música (Rua Tupi, 210)
Mais informações com Juraci Barbosa (Regente da Orquestra Prelúdio): 9997-5625

terça-feira, 12 de maio de 2009

Entre Percursos e Circuitos – Manobras da Arte



Dos dias 26 a 29 de maio será realizado em Londrina o workshop Entre Percursos e Circuitos – Manobras da Arte, do Rumos Itaú Cultural Artes Visuais 2008/2009. As inscrições podem ser feitas a partir desta segunda-feira (11), em horário comercial, na Casa de Cultura UEL – Divisão de Artes Plásticas, onde também será realizado o evento. Não há taxa de inscrição e o limite de vagas é de 25 pessoas. O projeto irá contemplar 18 cidades do interior do Brasil e Londrina foi escolhida após os assistentes curatoriais do Itaú Cultural viajarem por diversos locais e conhecerem a cena cultural de vários municípios. Armando Queiroz é o assistente curatorial que irá ministrar o workshop em Londrina. Curador é o profissional capacitado responsável pela concepção, montagem e supervisão de uma exposição de arte, além de ser também o responsável pela execução e revisão do catálogo da exposição.

O workshop é constituído por um conjunto de ações voltado para a promoção, análise, discussão e fomento à produção artística contemporânea. Seu objetivo maior é contribuir para a articulação, consolidação e/ou aprofundamento de um cenário artístico-cultural propício ao desenvolvimento de práticas artísticas. O workshop visa alcançar tal meta oferecendo suporte na formação profissional de agentes do meio e base crítica para uma leitura qualitativa da produção atual, bem como a ocasião de uma interlocução na qual os participantes possam discutir questões concernentes aos seus trabalhos e universos poéticos.

O curso enfocará a exposição de temas emblemáticos da arte atual, tanto no contexto nacional quanto internacional. A proposta de análise deste quadro se dará por um viés histórico e crítico, chamando-se sempre a atenção para aspectos que envolvem a condição do artista atualmente, seja no seu aspecto profissional, seja no seu lugar dentro do mundo presente.

1º dia: arte aqui
Conhecer e discutir a produção artística do local, lançando uma discussão acerca de sua conjuntura. A partir de um mapeamento do campo da arte da cidade (identificando artistas, espaços expositivos e de formação, mercado, críticos, curadores, gestores, políticas públicas dentre outros), buscar compreender suas dinâmicas de desenvolvimento, localizando-o num contexto maior – o brasileiro – e discutindo, junto aos participantes, possíveis estratégias para seu agenciamento.

2º dia: arte hoje
Apresentar, com base nas discussões prévias acerca da produção artística local, interesses e questões diversas que têm permeado a atual produção em arte contemporânea, buscando paralelos entre esta e o contexto vivenciado pelos participantes do workshop. Este módulo tem caráter eminentemente histórico.

3º dia: arte e pensamento crítico
Localizar a produção artística à luz das reflexões sobre a cultura que são mais amplamente desenvolvidas por campos diversos, como o da arte, da filosofia, comunicação, sociologia, dentre outros. A partir da bibliografia indicada, promover discussões acerca de pontos nevrálgicos da produção em arte contemporânea, visando colaborar também para o adensamento do pensamento crítico acerca da arte produzida no local.

4º dia: arte e cultura
Debater acerca do lugar e das implicações da arte no contexto da cultura, fazendo ver seus meios de relação com os diversos modelos culturais presentes na atualidade. Retomando as discussões ocorridas no primeiro módulo (arte aqui), observar as forças que delineiam o campo da arte em seu nível local, nacional e global, atentando para aspectos complementares da produção em arte – dinâmicas de visibilidade, mercado, legitimação. A partir de tal análise crítica e da apresentação de experiências artísticas ocorridas em outros locais, coletivamente traçar possibilidades de agenciamento da produção local.


Serviço
Divisão de Artes Plásticas UEL:
Avenida Juscelino Kubitschek, 1973
Fone: 3322-6844
O workshop será dos dias 26 a 29 de maio, das 14h às 18h

segunda-feira, 11 de maio de 2009

ANDRÉ MEHMARI & GABRIELE MIRABASSI

CINE TEATRO UNIVERSITÁRIO OURO VERDE UEL

DIA 13 maio

PRODUÇÃO: PASSAGEM PRODUÇÕES CULTURAIS

REALIZAÇÃO: CASA DE CULTURA UEL

APOIO: RÁDIO UEL FM


Com uma apresentação especial no Cine Teatro Universitário Ouro Verde UEL, em Londrina, no próximo dia 13 de maio, e dois importantes shows na capital paulista nos próximos dias 16 e 17, no Sesc Pompéia, o pianista e compositor André Mehmari lança seu mais recente trabalho, gravado em duo com o renomado clarinetista italiano Gabriele Mirabassi.


O repertório do CD é composto em grande parte por composições de Mehmari e Mirabassi, além das belas ‘Canção Desnecessária’ e ‘Rasgando Seda’, do violonista Guinga – “padrinho musical” deste trabalho.


Mehmari e Mirabassi foram apresentados por Guinga, num show que os dois últimos fizeram juntos em São Paulo para o lançamento nacional do premiado álbum ‘Graffiando Vento’, gravado na Europa pelo selo Egea. Logo surgiu a vontade mútua e a oportunidade de Mehmari e Mirabassi criarem uma apresentação em duo – e que, de fato, foi realizada no auditório do SESC Vila Mariana em 25 de setembro de 2007.


No ano seguinte, Mehmari fez uma viagem à Itália e, tendo Mirabassi como guia para a região da Umbria, propôs que concretizassem, num CD, o registro de suas afinidades musicais. Na mesma época, a Banda Sinfônica do Estado de São Paulo havia encomendado a Mehmari um concerto para clarinete, piano e banda sinfônica – e, em 18 de outubro de 2008, a composição de Mehmari foi apresentada no Teatro Alpha, tendo como solistas o próprio compositor, ao piano, e Mirabassi, no clarinete, unindo o rigor da linguagem de concerto com viva improvisação jazzística.


Durante a semana que precedeu o concerto, o duo aproveitou as horas vagas e registrou o álbum MIRAMARI, contando com a participação de Zé Alexandre Carvalho (contrabaixo) e Ricardo Mosca (bateria) em cinco das dezessete faixas do CD.


MIRAMARI, lançado agora no Brasil pelo selo Estúdio Monteverdi, será lançado também na Europa no segundo semestre, pelo selo Egea. Nos shows de lançamento, além do repertório do CD os artistas apresentarão também clássicos da música brasileira como ‘Valsa Brasileira’ (Edu Lobo e Chico Buarque) e ‘Vê se Gostas’ (Waldyr Azevedo), entre outras.


O que une toda essa diversidade é uma linguagem em duo muito particular, onde fica evidente a ampla bagagem musical dos músicos, que sempre transitam entre o popular o erudito com tranquilidade e fluência, criando dinâmicas e sonoridades surpreendentes.


CD MIRAMARI – André Mehmari e Gabriele Mirabassi

Selo: Estúdio Monteverdi

Distribuidora: Tratore

Preço médio: R$ 28,00


Londrina – PR

Cine Teatro Universitário Ouro Verde | Casa de Cultura UEL

Rua Maranhão, 85 – Centro

Tel.: (43) 3322.6381

Dia 12/05

Quarta-feira, às 20h30min.


São Paulo

SESC Pompéia

Rua Clélia, 93 – Pompéia

Tel.: (11) 3871.7700

Dias 16/05 e 17/05

Sábado, às 21h e domingo, às 18h.


Para Conhecer um pouco mais acesseo o myspace de André Mehmari e Gabriele Mirabassi

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Estréia "O Casamento de Rachel" no Cine Com-Tour /UEL



O conflito familiar é retratado no filme "O Casamento de Rachel" que estréia nesta sexta-feira (08/05) no Cine Com-Tour/ UEL. A relação familiar, que vai de discussões à demonstrações de afeto, são abordadas na trama que apresenta personagens que fogem do convencional dos filmes do tema.
O
"O Casamento de Rachel" será exibido até o dia 14 de maio sempre ás 20h30. A entrada está por 8 reais (inteira) e 4 reais (meia).


Sinopse
Kym (Anne Hathaway) está visitando a família por conta do casamento da irmã, Rachel (Rosemarie DeWitt), do qual será madrinha. Ela carrega consigo um histórico de conflitos pessoais e familiares (inclusive sua atual fase de recuperação do uso de drogas), que aos poucos se manifestam durante os dias que passa com a familia. Dirigido por Jonathan Demme (O Silencio dos Inocentes, Philadelphia, Sob o Dominio do Mal)

Ficha Técnica
Título Original: Rachel Getting Married
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 114 minutos
Ano de Lançamento (EUA): 2008
Site Oficial:
www.sonyclassics.com/rachelgettingmarried
Estúdio: Clinica Estetico / Marc Platt Productions
Distribuição: Sony Pictures Releasing
Direção:
Jonathan Demme
Roteiro: Jenny Lumet
Produção: Neda Armian e Marc E. Platt
Música: Donald Harrison Jr. e Zefer Tawil
Fotografia: Declan Quinn
Desenho de Produção: Ford Wheeler
Direção de Arte: Kim Jennings
Figurino: Susan Lyall
Edição: Tim Squyres
Efeitos Especiais: Brainstorm Digital / Click 3X

Elenco
Anne Hathaway (Kym)
Rosemarie DeWitt (Rachel)
Mather Zickel (Kieran)
Bill Irwin (Paul)
Anna Deavere Smith (Carol)
Anisa George (Emma)
Tunde Adebimpe (Sidney)
Debra Winger (Abby)
Jerome Le Page (Andrew)
Beau Sia (Norman Sklear)
Dorian Missick (Dorian Lovejoy)


Premiações
- Recebeu uma indicação ao Oscar de Melhor Atriz (Anne Hathaway).

- Recebeu uma indicação ao Globo de Ouro de Melhor Atriz - Drama (Anne Hathaway).

- Recebeu 6 indicações ao Independent Spirit Awards, nas categorias de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Atriz (Anne Hathaway), Melhor Atriz Coadjuvante (Rosemarie DeWitt e Debra Winger) e Melhor Roteiro de Estréia.


Curiosidades
- Jenny Lumet levou sete semanas para concluir o roteiro de O Casamento de Rachel. Apesar deste ser seu 5º roteiro, este é o primeiro a ser rodado.

- Exibido na mostra Panorama do Cinema Mundial, no Festival do Rio 2008.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Visite a Audioteca da Casa de Cultura UEL


O Centro de Documentação da Casa de Cultura UEL tem um espaço dedicado à escuta musical. Este espaço é a Audioteca, composta por CDs, LPs, DVDs e outros. A Casa de Cultura UEL disponibiliza para as pessoas interessadas seus aparelhos de MP3, contendo diversos repertórios musicais


Os ouvintes terão à disposição 2 cardápios: Cardápio Musical e Cardápio Radiofônico. Este é fruto do projeto ‘Radiofórum – em busca de um rádio inventivo’, realizado em setembro de 2008 com a participação de profissionais do Brasil, Alemanha e Finlândia. Oferecemos obras artísticas radiofônicas de John Cage, Bill Fontana, Glenn Gould, Pierre Scaheffer, Murray Schafer, Luciano Berio, Arsenije Jovanovic, Pierre Henry, Heloiza Bauab, Regina Porto, Harri Huhtamaki, Antonin Artaud, Hildegard Westerkamp, Walter Ruttmann, entre outros.


O Cardápio Musical oferece repertórios de rock, reggae, blues, musica popular brasileira (antiga e moderna), jazz, choro, música étnica, música clássica, música experimental, poesia [sonora, entre outros estilos e tendências.

A audioteca está aberta das 8h às 12h e das 13h30 às 18h


* Os aparelhos MP3 não poderão ser retirados do Centro de Documentação.